Portugal – Não é o fim do mundo, mas já há portugueses preparados para ele

Mais vale prevenir. Mas quando remediar é a única alternativa, o desejo é que o remédio seja o melhor. É com isso em mente que muitos norte-americanos se preparam para uma catástrofe. Convictos de que vai acontecer, mas esperançosos de que tarde a chegar, integram um movimento que acredita que preparar-se para o fim é mais racional do que ridicularizar aqueles que o fazem. Por isso, armazenam toneladas de alimentos, constroem abrigos e fazem treino de sobrevivência. Por aqui, há quem pense o mesmo. E embora longe do que se faz nos Estados Unidos da América, há portugueses que também se preparam para o fim do mundo.

Iguais, mas diferentes

São, por enquanto, poucos. Até porque o grupo Portugal Preppers, que quer “dar a conhecer aos portugueses o que são os ‘preppers’, que em português significa preparadores, assim como serem mais auto-suficientes”, existe apenas desde Agosto. E apesar de ainda estarem “tratando da burocracia legal” que oficializa a organização, a preparação já começou. Ao Destak manifestam a crença na inevitabilidade de um qualquer ataque, acidente ou incidente que servirá de teste à humanidade.

Até porque os mais recentes acontecimentos (como o furacão Sandy, a crise económica, entre outros) levam a crer “que algo pode acontecer, quer a nível de catástrofes naturais, quer humanas”. E acreditam também que os cidadãos nacionais não estão preparados. “Infelizmente, o povo português não está muito familiarizado com o conceito de ‘prepper’. Só agora, com a série Doomsday Prepper, do National Geographic, é que ficaram mais familiarizados. Mas mesmo assim não ligam, pois pensam que só acontece aos outros”, refere um dos responsáveis pelo grupo, que prefere o anonimato.

“Não somos nada parecidos com os habitantes dos Estados Unidos, pois eles levam aquilo a sério.” Existem diferenças entre os preppers lusos e os americanos. “O que se faz aqui é totalmente diferente”, reforçam os responsáveis pelo grupo nacional. “Armazenam- se alimentos, mas não como os americanos, trabalha- se também um pouco na auto-suficiência, como ter pequenas hortas, tenta-se ter o básico para poder sobreviver durante pelo menos 72 horas”.

Qualquer um pode ser um preparador

Estar preparado é o apelo deixado pelos responsáveis pelo Portugal Prepper. E qualquer pessoa pode ser um ‘prepper’. “Para isso basta começar com pequenas coisas como armazenar alguns alimentos e água em casa, pois imaginem que se falta água ou eletricidade durante uma semana, como fazem? Vão correr ao supermercado? Vejam o que aconteceu nos EUA com o furacão Sandy.”

Matéria: Não é o fim do mundo, mas já há portugueses preparados para ele
Autor: Carla Marina Mendes
Data original da Publicação: 03/12/2012
Link da Matéria: http://www.destak.pt/artigo/147558
Site: Destak – http://www.destak.pt/
Acessado em: 01/05/2019 – 22:15

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s