Autossuficiência, Traduções

A nova auto-suficiência: Preparadores e “Homesteaders” Urbanos

Por que as pessoas estão tão interessadas em viver fora do sistema?

No ano passado, em missão para a revista Outside, fui até a Carolina do Sul para sair com um grupo de neo-sobreviventes que se chamam “preppers”. Esses preppers eram basicamente americanos comuns que eram obcecados pela perspectiva de um desastre de aniquilação-civilizatório, qualquer coisa, desde um colapso econômico até um ataque nuclear a uma super-gripe. Então eles preparam alimentos, cultivam seus próprios vegetais, aprendem primeiros socorros, instalam poços e geradores movidos a madeira (eles também tendem a armazenar armas. Muitas armas. Quantidades assustadoras de armas). A história está aqui, se você estiver interessado.

O que me fascinou foi como os preppers, que são em grande parte (embora não inteiramente) um grupo de direita, têm muito em comum com os “queridinhos” neo-homesteaders1 de hoje. Ambos estão interessados ​​na auto-suficiência, ambos céticos em relação ao governo e às instituições, e ambos estão preocupados com possíveis desastres (os tipos de proprietários rurais tendem a se preocupar com o aquecimento global, etc., em vez da guerra nuclear). Embora suas ideologias sejam muito diferentes, seus interesses são os mesmos – viver fora do sistema, criar galinhas, enlatá-las, aprender habilidades antigas de apropriação.

Acabei de voltar de uma viagem para ver a família do meu marido em Salt Lake City, onde passamos parte do tempo ficando com o irmão mais velho do meu marido e sua esposa e três filhos e… suas galinhas, patos e codornas. Como tantas pessoas hoje em dia, meu cunhado e sua esposa são fazendeiros urbanos, criando seus animais no pequeno quintal de seu bairro de Salt Lake. Vários de meus vizinhos aqui em Chapel Hill também são galinheiros (há até mesmo um par de cabras urbanas vagando por aí!), Assim como muitas das pessoas que entrevistei para o livro. A maioria dos neo-homesteaders que entrevistei estava preocupada com a saúde, a segurança alimentar e as mudanças climáticas, e também ficam profundamente satisfeitas por viverem mais perto da terra.

Há também, penso eu, um elemento de realização de desejos em preparação e homesteading. Como indico no final do artigo Outside, há algo de primordialmente atraente em ser auto-suficiente, livre (ou quase livre, pelo menos) das restrições da civilização. Ou talvez eu tenha lido muito “Little House on the Prairie”2.

Pesquisando o artigo da Outside me fez perceber que, sem mercearias e suprimentos de água municipais, eu duraria cerca de uma semana, sobrevivendo de latas expiradas de atum e “tubetes” de amêndoas cobertas de chocolate. Mas tenho dificuldade em pensar que “preparar” é um uso que vale a pena, e a ideologia da auto-suficiência – seja liberal ou conservadora do “Tea Party”3 – parece-me a maneira errada de ver as coisas. Se algo está quebrado ou perto de quebrar, eu prefiro ver as pessoas colocando sua energia em consertar isso, em vez de adotar uma atitude de “cada um por si mesmo”.

Da perspectiva de uma viciada em comida, eu adoraria ter minhas próprias galinhas. E um enorme jardim. E uma cabra leiteira. Se alguém cuidar de tudo …

Pensamentos? Algum preppers/neo-homesteaders/aspirantes a “fora do sistema” está aí?

1) Homesteaders: Pessoa que pratica o homesteading. Em termos gerais, o homesteading é um estilo de vida de auto-suficiência. É caracterizada por agricultura de subsistência, preservação em casa de produtos alimentares e pode ou não envolver a produção em pequena escala de têxteis, roupas e artesanato para uso doméstico ou venda.

2) Little House on the Prairie (Uma Pequena Casa na Pradaria): é uma série de livros de romances infantis americanos escritos por Laura Ingalls Wilder, baseada em sua infância e adolescência no meio-oeste americano (Wisconsin, Kansas, Minnesota, Dakota do Sul e Missouri) entre 1870 e 1894. Foram 9 livros publicados entre 1932–1943 e em 1971. Com base na adptação dos livros foi produzida a série de sucesso da televisão americana “Little House on the Prairie”, que decorreu de 1974 a 1983, esta série foi transmitida no Brasil pela Rede Record com o nome “Os Pioneiros”.

3) Tea Party: O movimento “Tea Party”, também referido como “Partido do Chá”, é um movimento social e político dos Estados Unidos. Trata-se da ala radical do Partido Republicano, que vem sendo descrita como um misto de libertarianismo, populismo, conservadorismo e ultradireitismo. Este grupo político não é considerado um partido em si, apesar de contar com a adesão de boa parte dos republicanos.

Tradução da matéria: The New Self-Sufficiency: Preppers and Urban Homesteaders
Autor: Emily Matchar
Data original da Publicação: 02/05/2013
Link da Matéria: https://www.psychologytoday.com/intl/blog/homeward-bound/201305/the-new-self-sufficiency-preppers-and-urban-homesteaders
Site: Psychology Today – https://www.psychologytoday.com
Acessado em: 11/04/2019 – 22:40

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s